16 de jun de 2011

A hora certa para chegar na Terra Prometida



Hoje, vou falar mais um pouquinho sobre o povo no deserto. Tava lendo aqui e tudo começou a se encaixar com a palavra que eu ouvi no culto ontem à noite. Aliás, nessa última semana, tudo que Deus tem me ministrado é como um quebra cabeça, uma peça vai completando a outra. Pensei em quantas coisas aconteceram desde que eu comecei a caminha com Jesus e em tudo que aconteceu antes de eu conhecê-lo mais profundamente. Assim como o povo que saiu do Egito, Deus também tirou da minha vida muitas coisas que não me faziam bem, que me prejudicavam e me faziam sofrer, como aquele povo quando estava no Egito. No versículo 41, do capítulo 15 de números, Deus diz a Moisés: - Eu sou o Senhor, o seu Deus, que os trouxe do Egito para ser o Deus de vocês. Eu sou o Senhor, o seu Deus .

Foi Deus quem tirou o povo do Egito, até porque se observamos a história, o povo não teria como sair se não fosse realmente a mão de Deus. E quantas vezes, eu esqueço que foi Deus quem fez tudo por mim até agora. Eu só estou caminhando, mas o reconhecimento é Dele, eu não mereço, quem tá fazendo tudo acontecer é Ele. Esse é um dos grandes perigos que passamos, quando nós achamos que fomos nós que conseguimos fazer. Eu nunca posso esquecer, que foi Deus quem me tirou do Egito e me separou para que Ele fosse o meu Deus. Ah! Nem isso foi eu quem escolhi. Ele escolheu ser o meu Deus, Ele escolheu me tirar do Egito, Ele escolheu a minha liberdade e Ele com todo o seu poder me libertou. Eu que já sou pequena, diante Dele fico ainda menor. Sem a mão de Deus, eu ainda estaria naquele mesmo mundinho que eu vivia há alguns anos atrás. Tinha alguns momentos de uma falsa alegria, que era passageira. Mas, vivia frustrada e me sentindo vazia. Chorava sem ter um motivo relevante e vivia acomodada. Até que Ele me escolheu e aí tudo mudou, ganhei amigos, comecei a sonhar mais alto, ter ousadia pra dizer não às coisas que não me faziam bem e conheci o que realmente é a liberdade. Só que, quem fez tudo isso acontecer foi Ele, Deus.

Em alguns momentos, eu já questionei o Pai porque certas coisas não aconteciam, porque as vezes parecia que eu não saia do lugar. Até tentava fazer do meu jeito, no meu tempo, mas no final, eu me frustrava, claro. A frustração era um sentimento que eu tinha no tempo do Egito e que eu devia ter deixado lá. Ainda no versículo 41, Deus fala: -Eu os trouxe do Egito para ser o Deus de vocês. Aqui, o Senhor falou comigo de forma muito clara. Quando eu estava no Egito, eu não deixava ele ser o Deus da minha vida, porque eu fazia as coisas e não deixava Ele agir. A frustração vem quando eu acabo agindo como se estivesse no Egito e não deixo que Deus faça por mim.

Agora que a palavra do culto entra na história. Na pregação ouvimos sobre o fato de Pedro negar que conhecia Jesus, se antes ele disse que estava pronto para ir com Jesus à prisão e à morte. Aí está a resposta, se as coisas ainda não aconteceram é porque eu ainda não estou pronta. Pedro, mais tarde, foi escolhido pelo Senhor para edificar a igreja e também foi crucificado de cabeça para baixo. Só que quando tudo isso aconteceu, ele já estava com a sua base fortalecida, sua estrutura estava bem formada. Na época que ele negou Jesus, Pedro pensou que estava pronto, mas sua base não estava apta para enfrentar as dificuldades. Sua base precisou de tempo para conseguir uma estrutura sólida.

Essa estrutura, eu adquiro no deserto e é ali que eu sou forjada pelo Senhor. Enquanto eu não chego na Terra Prometida, eu preciso fortalecer minha estrutura. É nesse tempo que Deus vai me capacitar, vai corrigir as minhas falhas e vai me preparar. Preciso esperar que Deus me diga a hora de seguir em frente e a direção a ser tomada. Voltando um pouquinho aos textos anteriores, já que eles se completam, se eu chegar na Terra Prometida antes da hora, antes de ter minha estrutura preparada, eu serei alvo fácil na mão dos gigantes e ainda estarei em rebeldia com as ordens do Senhor. Se eu batalhar sozinha contra o gigante e depender só da minha força, sem a ajuda do Senhor, o resultado com certeza não será bom.

15 de jun de 2011

Eu sou parecida com o povo que reclamava no deserto



Hoje, continuei minha leitura do livro de Números. Observei que, diferente do que eu falei ontem, quando o povo obedecia a ordem de Deus, agora eles tinham começado a reclamar. Deus mandava um maná do céu todos os dias e eles tinham a sua comida em mãos. No Egito, o povo era escravo e agora caminhava em direção à Terra Prometida. Agora você pode pensar: - Mas do que eles estavam reclamando? Eles estavam indo para um lugar melhor e tinham sido libertos da escravidão. Eles estavam reclamando do quê?

Eu tinha essa mesma dúvida e Deus me mostrou algumas coisas. Tão fácil julgar o povo que caminhava no deserto, né? Mas, nós fazemos a mesma coisa, sabia? Uhum, fazemos sim. Sabe por quê? Nós já conhecemos alguns dos planos que Ele tem para as nossas vidas. A palavra fala que a vontade do Senhor é boa, perfeita e agradável e mesmo assim a gente tem uma coisinha do que reclamar. É fácil ver a história do povo no deserto e criticá-los. Fácil porque nós já conhecemos o final da história, mas se nós estivéssemos na mesma situação daquele povo, como nós reagiríamos?

Em um certo trecho, o povo reclama porque estava cansado de comer o maná e queriam carne. Na verdade, o povo não precisava da carne para sobreviver, eles já tinham o maná. A vontade de comer a carne não era uma necessidade, mas um capricho. E quantos caprichos nós temos, hein! O povo perdeu o foco e não agradecia ao Senhor pela libertação, eles só reclamavam porque queriam mais e mais. Estavam agindo como interesseiros. Quantas vezes nós somos assim também, buscamos ao Senhor com interesse pelas bênçãos que Ele pode nos dar.

Mais pra frente, ainda em Números, chega a hora que algumas pessoas são escolhidas para fazerem o reconhecimento da Terra Prometida. Dentre os 12 escolhidos, a maioria voltou falando coisas negativas do lugar. Josué e Calebe foram os únicos que fizerem diferente do grupo. Aqui, mais um ponto que temos em comum com o povo que reclamava. Antes mesmo de tentarem entrar na Terra Prometida, eles acreditaram e se deixaram contaminar com as reclamações do grupo que foi fazer o reconhecimento de Canaã. Quantas vezes, nós já não pensamos assim: - Ah! Mas não vai dar certo. Pensamos isso sem ao menos tentar. Como nossas palavras podem definir o que conseguiremos fazer e o que não conseguiremos, esse povo realmente não conseguiu, como tinha dito.

Quando você confia em Deus e tem fé, Ele te honra. Repare neste trecho: “Mas como meu servo Calebe tem outro espírito e me segue com integridade, eu o farei entrar na terra que foi observar, e seus descendentes a herdarão” Números 14:24. Olha a importância do ato de Calebe, ele se posicionou e fez diferente da maioria. Isso trouxe a benção de Deus não só pra ele, mas para a sua descendência. Quem reclamou contra o Senhor, trouxe maldição e morte para os seus descentes.

Tá, mas o que eu aprendo com tudo isso? Você, eu não sei, mas eu aprendi que preciso deixar meus caprichos de lado e dar prioridade ao que realmente é importante no momento. Uma vez, eu ouvi em uma ministração que os planos de Deus são muito maiores do que os nossos sonhos pessoais e a história do povo que caminhava em direção à Terra Prometida é um exemplo muito claro disso. Preciso confiar no Senhor, deixar que os seus planos na minha vida se cumpram no tempo Dele. Ele já preparou tudo, eu só tenho que seguir as suas direções. Preciso agradecer mais e parar de ficar reclamando. E lembrando um pouquinho o texto de ontem, não sair correndo na frente da nuvem, antes de Deus mandar porque se não, eu vou ser torrada pelo sol e pelo calor terrível do deserto.

14 de jun de 2011

O Pai mais protetor que conheço


Quem nunca fez um machucado que doeu? Quem nunca teve um ferimento que ardeu? Quem nunca ficou  ansioso? Quem nunca se sentiu sozinho? Todos nós já sentimos isso. Esses dias, tava conversando com Deus e Ele me fez lembrar de uma frase que é muito comum ouvirmos de nossas avós e mães quando somos pequenos. Todas as vezes que eu me machucava (e não foram poucas!), quando uma delas ia passar um daqueles remédios que eu não gostava, elas me diziam: - Tá ardendo? Se ta ardendo é porque vai curar. Na hora, eu podia não gostar de passar a medicação na ferida, mas depois de alguns dias, ela realmente estava sarada. Algumas dessas feridas deixaram cicatrizes em mim. Hoje, eu até vejo as cicatrizes naqueles lugares onde eu me machuquei, mas agora, eu não sinto nada de dor. Pelo contrário, quando conto para alguém sobre isso, até consigo sorrir.

Deus me mostrou que nossa vida é parecida com esses tombos e arranhões que sofremos na infância. Para ele, nós somos como crianças. Crianças travessas que se machucam e correm pedindo colo ao seu pai. Mesmo que Ele já tenha tentado me orientar falando que eu poderia me machucar, Ele nunca me disse: - Eu já disse que isso não ia dar certo. Muito pelo contrário, Ele sempre me coloca no colo e enxuga todas as minhas lágrimas. Ele passa um remedinho na ferida e ela para de arder.

Na maioria das vezes, nos machucamos porque não queremos obedecer nosso Pai. Batemos o pé e fazemos as coisas do nosso jeito, na nossa hora e conforme a nossa vontade. Somos ansiosos e agimos por impulsos. Exatamente como as crianças. Mas Deus, quando nos escolheu, já sabia que iríamos errar. Ele nos conhece melhor do que qualquer um. Ele conhece todos os nossos defeitos e falhas. Como Pai, Ele sabe o jeito certo de cuidar dos seus filhos.

Quando o povo saiu do Egito e caminhava em direção à Terra Prometida, Deus colocou uma nuvem sobre eles. Durante a noite, ela era como uma coluna de fogo e durante o dia, não deixava que o calor do deserto prejudicasse o povo escolhido. Isso sim é saber como proteger alguém, não? Em Números 9: 22-23, podemos ver isso: “Quer a nuvem ficasse sobre o tabernáculo dois dias, quer um mês, quer mais tempo, os israelitas permaneciam no acampamento e não partiam; mas, quando ela se levantava, partiam. Conforme a ordem do Senhor acampavam, e conforme a ordem do Senhor partiam. Nesse meio tempo, cumpriam suas responsabilidades para com o Senhor, de acordo com as suas ordens, anunciadas por Moisés.”

Esse é o segredo! Se o Senhor mandar esperar, espere. Se o Senhor mandar partir, vá sem medo. Pode ser que agora, a ordem seja esperar, pode ser que você esteja caminhando, assim como o Senhor mandou e pode ser que você não conheça direito esse caminho. Se foi Deus quem realmente mandou você seguir, Ele não vai deixar que você fique sozinho, Ele vai continuar te mostrando as direções que você deve tomar. Se o esperar tá causando dor, tá ardendo e tá incomodando é porque ele está tratando um daqueles machucados que você tem. Talvez para que você possa seguir em frente, esse ferimento precise estar totalmente curado. Enquanto ele ainda está doendo, você não pode caminhar. Deixe que o Pai trate as tuas feridas e não seja como um filho ansioso, aquele que sai correndo antes que a ferida esteja totalmente sarada. E lembre-se: O segredo é seguir a ordem do Senhor. O que tá ardendo agora pode ser o remédio para o teu ferimento.

18 de fev de 2011

Orgulho morto, liberdade conquistada


Orgulho. Encontrei uma definição muito clara para esta palavra: soberba ridícula. Quem define isso não sou eu, mas o dicionário. Quero deixar bem claro que o sentido de orgulho que vou abordar não é algo relacionado a orgulhar-se de um pai, de um filho. Mas no sentido de vaidade, de altivez.

Não estou acusando ninguém, certo? Lembre-se: muitas pessoas tímidas são orgulhosas e eu também sofro desse mal. Luto para que isso morra dentro de mim. Ah! Como sofremos com essa pequena palavra que pode fazer um grande estrago dentro de relacionamentos e dentro de nossas próprias vidas.

Quantas vezes, guardei o meu orgulho e não tive a ousadia de perdoar alguém por algo que foi dito e me feriu. Esse sentimento só fez a minha dor aumentar. Guardei a mágoa, me incomodei e sofri.

O orgulho nos impede de admitirmos que estamos errados, já que ele faz com que nos sintamos as pessoas mais inteligentes e mais corretas do universo. Quanto engano, quanta presunção. Acho que estou sempre certa, mas o que consigo fazer sozinha? Nada. Afinal, sou dependente das pessoas que me cercam.

Deixo para pedir perdão depois, deixo para me arrepender depois, deixo para ser feliz depois. E se o depois for tarde demais? Não há tempo para ser perdido. As horas passam com rapidez e os anos voam depressa. Os dias são valiosos demais para serem desperdiçados. Quanto tempo você vai esperar?

Valorize as pessoas que te rodeiam, perceba as belezas que seu dia pode ter. Não reclame da chuva, não reclame do sol. Tire da gaveta aquele plano que está coberto pela poeira e que foi abandonado no tempo. Ame, perdoe, seja ousado, acredite nos seus sonhos, batalhe para que suas metas sejam alcançadas e mate o seu orgulho. Deixe que a verdadeira felicidade viva dentro de você! Não é utopia, mas realidade. Só é preciso acreditar e colocar em prática!


“O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda.”

Provérbios 16:18