15 de jun de 2011

Eu sou parecida com o povo que reclamava no deserto



Hoje, continuei minha leitura do livro de Números. Observei que, diferente do que eu falei ontem, quando o povo obedecia a ordem de Deus, agora eles tinham começado a reclamar. Deus mandava um maná do céu todos os dias e eles tinham a sua comida em mãos. No Egito, o povo era escravo e agora caminhava em direção à Terra Prometida. Agora você pode pensar: - Mas do que eles estavam reclamando? Eles estavam indo para um lugar melhor e tinham sido libertos da escravidão. Eles estavam reclamando do quê?

Eu tinha essa mesma dúvida e Deus me mostrou algumas coisas. Tão fácil julgar o povo que caminhava no deserto, né? Mas, nós fazemos a mesma coisa, sabia? Uhum, fazemos sim. Sabe por quê? Nós já conhecemos alguns dos planos que Ele tem para as nossas vidas. A palavra fala que a vontade do Senhor é boa, perfeita e agradável e mesmo assim a gente tem uma coisinha do que reclamar. É fácil ver a história do povo no deserto e criticá-los. Fácil porque nós já conhecemos o final da história, mas se nós estivéssemos na mesma situação daquele povo, como nós reagiríamos?

Em um certo trecho, o povo reclama porque estava cansado de comer o maná e queriam carne. Na verdade, o povo não precisava da carne para sobreviver, eles já tinham o maná. A vontade de comer a carne não era uma necessidade, mas um capricho. E quantos caprichos nós temos, hein! O povo perdeu o foco e não agradecia ao Senhor pela libertação, eles só reclamavam porque queriam mais e mais. Estavam agindo como interesseiros. Quantas vezes nós somos assim também, buscamos ao Senhor com interesse pelas bênçãos que Ele pode nos dar.

Mais pra frente, ainda em Números, chega a hora que algumas pessoas são escolhidas para fazerem o reconhecimento da Terra Prometida. Dentre os 12 escolhidos, a maioria voltou falando coisas negativas do lugar. Josué e Calebe foram os únicos que fizerem diferente do grupo. Aqui, mais um ponto que temos em comum com o povo que reclamava. Antes mesmo de tentarem entrar na Terra Prometida, eles acreditaram e se deixaram contaminar com as reclamações do grupo que foi fazer o reconhecimento de Canaã. Quantas vezes, nós já não pensamos assim: - Ah! Mas não vai dar certo. Pensamos isso sem ao menos tentar. Como nossas palavras podem definir o que conseguiremos fazer e o que não conseguiremos, esse povo realmente não conseguiu, como tinha dito.

Quando você confia em Deus e tem fé, Ele te honra. Repare neste trecho: “Mas como meu servo Calebe tem outro espírito e me segue com integridade, eu o farei entrar na terra que foi observar, e seus descendentes a herdarão” Números 14:24. Olha a importância do ato de Calebe, ele se posicionou e fez diferente da maioria. Isso trouxe a benção de Deus não só pra ele, mas para a sua descendência. Quem reclamou contra o Senhor, trouxe maldição e morte para os seus descentes.

Tá, mas o que eu aprendo com tudo isso? Você, eu não sei, mas eu aprendi que preciso deixar meus caprichos de lado e dar prioridade ao que realmente é importante no momento. Uma vez, eu ouvi em uma ministração que os planos de Deus são muito maiores do que os nossos sonhos pessoais e a história do povo que caminhava em direção à Terra Prometida é um exemplo muito claro disso. Preciso confiar no Senhor, deixar que os seus planos na minha vida se cumpram no tempo Dele. Ele já preparou tudo, eu só tenho que seguir as suas direções. Preciso agradecer mais e parar de ficar reclamando. E lembrando um pouquinho o texto de ontem, não sair correndo na frente da nuvem, antes de Deus mandar porque se não, eu vou ser torrada pelo sol e pelo calor terrível do deserto.

Um comentário:

  1. Muita bom o texto que vc colocou, eu aprendi muito, Deus abençoe tua vida.

    ResponderExcluir